Coronel Ikeda é o segundo candidato a participar do bate papo AEHN com candidatos à vereador



O segundo bate papo AEHN com candidatos a vereador de Porto Alegre aconteceu na quinta-feira (15), via plataforma Zoom. O convidado para o evento foi o candidato à reeleição a vereador Coronel Ikeda (PRTB) e a conversa foi conduzida pelo presidente da AEHN, Luiz Carlos Camargo.

Ikeda iniciou agradecendo a oportunidade de estar conversando com a associação e apresentou um breve histórico sobre sua carreira com quase 35 anos de atuação. Foi Comandante Geral por 2 anos em dois governos diferentes, Sartori e Leite, e disse que isso demonstra que não houve nenhum envolvimento político e sim técnico. Em 2017 foi designado Subcomandante Geral e em 2015/2016 foi Comandante do Comando de Policiamento da Capital, e teve que lidar com a diminuição do efetivo e homicídios muito marcantes que tornaram o período muito difícil. Além disso em 2015 havia uma lista de cerca de 100 ações judiciais de reintegração de posse represadas e por isso iniciou uma força tarefa para não só zerar a fila, mas também impedir novas invasões. Por mais de 10 anos atuou em operações do GAT – Grupo de Ações Táticas Especiais, para ocorrências de maior risco, hoje chamado de BOPE. Foi também, por 3 anos, subcomandante do batalhão de choque que trabalha em grandes eventos em ações de reintegração de posse. Ikeda falou ainda que além das operações a gestão como um todo é muito importante e citou que desde 2014 a Brigada Militar trabalha com programas de gestão redução dos índices de criminalidade e gestão de todos os recursos operacionais, como o Avante e RS Seguro, que possibilitaram uma redução nos custos que era muito necessária devido à redução de recursos.

Depois de falar de sua carreira explicou por que entrou para política. Segundo ele, foi convidado por empresários, principalmente ligados ao Instituto Cultural Floresta (ICF), organização que atua pela mobilização da sociedade civil para contribuir com as iniciativas que busquem melhorar a Segurança Pública e a Educação no Rio Grande do Sul. Falou também sobre a escolha do partido PRTB, do vice-presidente General Mourão, partido que abriu mão do pequeno fundo paritário que teria direito, por entender que se não deve utilizar recursos públicos nas campanhas eleitorais. O partido é conservador e liberal, e tem como bandeiras não aumentar os impostos, não aumentar a máquina pública, transparência e desenvolvimento econômico e social. Ikeda disse que prega que a administração pública deve ser baseada na receita e não na despesa para que não se planeje gastos se não houver recursos disponíveis e reforçou que na gestão da brigada todos os gastos foram feitos com bases em princípios públicos e que não basta ser honesto é preciso demonstrar honestidade.

Na sequência, falou sobre o 4ºDistrito e disse que em conversa com os candidatos a prefeitura Sebastião Melo e Ricardo Gomes pediu atenção aos projetos da região. Citou ainda o Masterplan e a redução de impostos para empresas na região. Em relação à segurança pública que é o grande foco do candidato, citou a importância da tecnologia e falou sobre monitoramento por câmeras com compartilhamento de imagens geradas a partir de dispositivos privados. Explicou como o acesso de imagens pode melhorar o atendimento de ocorrências e que a materialidade de provas tem um papel importante na condenação por crimes. No final de sua explanação, Ikeda, falou estar à disposição da associação para trocar ideias e sugestões.