HISTÓRIA

Fundada em 8 de novembro de 1984 com o nome de Associação dos Amigos do Bairro Humaitá, compreendendo os limites da área entre a linha da Trenbsurb e a Auto-Estrada Porto Alegre – Osório (atual Free-Way). Sendo o primeiro presidente Felix Peter da Primorosa, onde ficou sendo a sede provisória da associação. Foi ele que começou os primeiros contatos com os órgãos públicos visando a melhoria no bairro.

Foi uma discussão constante o crescente aumento de sub-habitações e as mazelas socias advindas desta situação.

Na reunião de Diretoria do dia 19 de dezembro de 1984, conforme consta na ata n°4, decidiu-se pela alteração do nome da para Associação dos Empresários do bairro Humaitá, o que no entender dos presentes proporcionaria maior representatividade à entidade. O que foi aprovado na Assembleia Geral de 03 de janeiro de 1985.

Em entrevista para o Informativo n°1 “Viva! – Humaitá –Navegantes” da Associação, datado de outubro/novembro de 1998, Rudi Schommer relembra o início da associação. Relata que uma das atividades mais marcantes da associação, foi organizar a coleta de lixo do bairro – “A prefeitura entrou com os garis. Nós compramos as ferramentas e os carrinhos...quanto carrinho eu consertei...” lembra Schommer. A Churrascaria Nova Bréscia forneceu a alimentação enquanto a Construtora Scorza cedeu um galpão para alojamento dos funcionários. O então diretor do DMLU – Luiz Vicente Dutra, forneceu pessoal e equipamento para a instalação de uma capatazia do DMLU no bairro Humaitá com coordenação da Associação que providenciou o local. Esta ação ficou definida na reunião ordinária de Diretoria de 30 de maio de 1985 depois de várias tratativas.

uma das atividades mais marcantes da associação, foi organizar a coleta de lixo do bairro

Naquele tempo telefonia era artigo de luxo e nem todas as empresas possuíam, tanto que a Scorza permitiu a utilização do seu aparelho para os contatos da capatazia com a sede do DMLU. Já naquela época a preocupação com o crescimento desordenado de submoradias e a educação para a correta coleta do lixo era uma das bandeiras da associação.

Schommer relata também o esforço da associação para auxiliar no crescimento da região, sendo que juntaram esforços para aterrar 23.000m2 de área para um loteamento que a Guerino iria construir. – “Todos éramos muito entusiasmados, porque precisávamos urgentemente dos serviços públicos de base”, relata.

“Todos éramos muito entusiasmados, porque precisávamos urgentemente dos serviços públicos de base”Rudi Schommer

Ainda, segundo Shommer, o passo seguinte foi o tema segurança. Com o apoio da Associação dos Moradores, a Associação dos Empresários do Humaitá definiu a localização do Posto da Brigada Militar, em uma área cedida pelo Colégio Santo Inácio. Foi à associação que construiu o prédio.

Ainda numa época que a telefonia era estatal, a associação foi à luta para melhorias. A Companhia Riograndense de Telefonia – a extinta CRT, não tinha condições técnicas de colocar mais telefones, pois todas as centrais estavam sobrecarregadas e a construção de uma nova demoraria de 6 a 10 anos. Novamente a associação se uniu, comprando, em 1990, um terreno e firmando acordo com a CRT para construção da central em 15 meses. Apesar dos atrasos e constantes negociações com a estatal, em 1996 a central foi inaugurada.

Com o apoio da Associação dos Moradores, a Associação dos Empresários do Humaitá definiu a localização do Posto da Brigada Militar, em uma área cedida pelo Colégio Santo Inácio.

Rudi Schommer da empresa Ciers, que atua na região, junto com as indústrias Renner, desde 1960, foi o segundo presidente da Associação dos Empresários do bairro Humaitá. Ainda na gestão de Schommer, trabalharam em conjunto com a prefeitura para a transferência de 298 famílias das ruas Dona Teodora e Voluntários da Pátria para o loteamento Mário Quintana. Foram disponibilizados 10 caminhões para a mudança e alimentação para os trabalhadores.

Em 1998, já na gestão de Mathias Renner – da A.J Renner S.A Indústria e Participações que assumiu em 1997, a associação passou a olhar para a questão da mobilidade. Buscando melhorar o acesso aos bairros, principalmente acesso a Terceira Perimetral, reuniram-se com o prefeito Raul Pont, o Secretário Municipal de Transportes – Luiz Carlos Bertotto, e contrataram uma empresa que elaborou um projeto. Foi lançada uma campanha de mobilização de empresários e moradores em prol do “Acesso a Terceira Perimetral Já – Fazendo Porto Alegre mais Feliz!” O projeto criava um prolongamento da Terceira Perimetral através da Rua Dona Teodora indo desembocar na Free-Way, o que ocorreu em setembro de 2008 com a inauguração do viaduto Leonel de Moura Brizola, foram dois anos de obras.

Buscando melhorar o acesso aos bairros, principalmente acesso a Terceira Perimetral, reuniram-se com o prefeito Raul Pont, o Secretário Municipal de Transportes – Luiz Carlos Bertotto, e contrataram uma empresa que elaborou um projeto.

Em 2003, dentro da proposta da prefeitura para o Programa Integrado da Entrada da Cidade – PIEC, a associação abriu a franquia do Projeto Pescar criando o Grupo Navegantes.

Após Mathias Renner assumiu Cristiano Jacó Renner, também representante da A.J Renner S.A Indústria e Participações. A luta pela mobilidade continuava, cada vez mais necessária com o aumento do tráfego de veículos. A revitalização da Rua Lauro Muller entrou em pauta, principalmente o seu asfaltamento. Foi um trabalho que contou com a parceria da Trensurb, Eurolatte do Brasil Ltda e Villas e Cia. Também buscavam melhorias no transporte público com a expansão das linhas de ônibus e lotação. Na área de segurança esta gestão conseguiu outra grande vitória, a vinda da 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento. Novamente a associação se cotizou e foi realizada a reforma do prédio para que pudesse ser instalada a delegacia. Também ficaram atentos ao dinheiro investido, pois seis meses após a inauguração a delegacia estava sem efetivos da Polícia Civil. Nova mobilização para que fosse indicado um delegado permanente e nomeado um defensor público. Em junho de 2007 foram alocados para a 3ªDPPA quatro delgados e mais dois agentes com caráter efetivo pelo então Diretor do Departamento de Polícia Metropolitana, Sr. Herbert Moura Ferreira. Durante toda esta gestão se lutou pela melhoria do sistema de drenagem dos bairros para prevenir alagamentos. Em 2008 teve início um dos grandes problemas da região os imóveis listados. São imóveis incluídos no Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis pela EPACH da Secretaria de Cultura de Porto Alegre. Em setembro de 2010 começam as obras da Arena do Grêmio, que já estava sendo planejada pelo clube desde 2006.

Na área de segurança esta gestão conseguiu outra grande vitória, a vinda da 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento. Novamente a associação se cotizou e foi realizada a reforma do prédio para que pudesse ser instalada a delegacia.

No mandato de Thomaz Nunnenkamp – representante do Laboratório Saúde, havia a expectativa de crescimento do 4° Distrito. A prefeitura através da Secretária Municipal de Urbanismo -SMURB havia feito um estudo de revitalização da área, o PIEC estava em pleno andamento, e grandes empreendimentos privados estavam surgindo, como o Rossi Fiateci. A Arena foi inaugurada em dezembro de 2012 e ao mesmo tempo que era esperança de desenvolvimento para região, problemas relacionados às contrapartidas de infraestrutura e mobilidade travaram obras e até hoje não há um acordo para retomada total.  Em 2013, após aprovação em Assembleia, a razão social foi alterada para Associação das Empresas dos Bairros Humaitá e Navegantes. A substituição de empresários por empresas veio dá percepção de que a associação tinha um cunho mais amplo do que atender apenas ao proprietário, mas sim aos trabalhadores e todo o entorno.

Em 2017 Luiz Carlos Camargo, representante da Irmãos Galeazi, assumiu a presidência e passou a realizar reuniões mensais para fortalecer a comunicação e atuação da associação. Realizou entregas importantes como a reforma da Casa de Bombas 5 (duplicando a capacidade de bombeamento de águas pluviais), o cercamento de terreno com rico de invasão na Av. Voluntários da Pátria, e a integração á Mesa do Pacto Alegre. Em dezembro de 2019 a AEHN foi homenageada pela Camara de Vereadores de Porto Alegre, com a Comenda Porto do Sol.

Durante todos estes anos foi se consolidando um trabalho da AEHN de referência como entidade de classe empresarial integrada à comunidade, promovendo ações com foco no desenvolvimento dos bairros, de suas empresas, entidades públicas, moradores e trabalhadores. Atua em parceria com os órgãos públicos, buscando melhorias para o bairro.

Dentre as principais ações realizadas pelas associação ao longo dos seus 35 anos estão:

- Organização da coleta de lixo no Humaitá;

- Doação de terreno para a antiga Companhia Riograndense de Telefonia – CRT;

- Construção do Posto da Brigada Militar no Humaitá;

- Criação do Grupo Navegantes, franquia do Projeto Pescar; que por meio de parceria com empresas mantenedoras promove a formação pessoal e profissional de adolescentes em situação de vulnerabilidade social, no turno inverso ao horário escolar.

- Reforma do prédio para a 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento.

- Projeto de melhoria da segurança com a assinatura de um Termo de Cooperação entre a AEHN e DCCI – SSP para espelhamento das câmeras externas de associados ao departamento;

- Apoio a criação de nova lei para os Imóveis Inventariados no Patrimônio Histórico e Cultural de Porto Alegre;

- Participação no GT de Diversificação da Economia do Projeto Porto Alegre Resiliente;

- Parceira da Rede de Sustentabilidade e Cidadania – Secretaria de Relações Institucionais da Prefeitura de Porto Alegre;

- Ações comunitárias em uma área ao lado de um posto de saúde e instituições de ensino, transformando um depósito de lixo em um espaço revitalizado com participação da comunidade.

- Reforma da Casa de Bombas do bairro Humaitá cobrando da prefeitura a limpeza de dutos e galerias.

- Permanente trabalho pela melhoria do sistema de drenagem dos bairros (prevenir alagamentos), para que haja uma nova ligação viária com o restante da cidade e, também, para melhorar a infraestrutura como um todo.

FUNDADORES

Foram considerados sócios-fundadores todos os sócios que assinaram o livro de presença referente às reuniões preparatórias efetivadas em 20 de setembro e 04 de outubro de 1984, bem como os sócios participantes das Assembleias Gerais de 08 de novembro de 1984 – data da fundação da Associação Amigos do Bairro Humaitá e de 29 de novembro de 1984, conforme determina a ata n°1 da Assembleia Geral de 08 de novembro de 1984. São eles:

  1. A. Mario Penz e Cia Ltda –Tapeçaria Mario;

  2. A.J. Renner S/A – Indústria e Participações;

  3. Cimabra Comércio e Indústria de Manufaturados de Fibras Ltda;

  4. Comercial Luce S/A;

  5. Cooperativa Central Gaúcha de Leite Ltda;

  6. Eraldo Hermann Comercio de Materiais de Construção  Ltda;

  7. Feltros Renner;

  8. Figueiras S/A;

  9. Lee S/A – Indústria de Confecções;

  10. Lojas Wilson – Indústria e Comércio de Pneus Ltda;

  11. Moinhos Germani S/A – Fabrica de Rações;

  12. Planalto S/A – Transportes;

  13. Primorosa Porto Alegre S/A- Veículo e Auto Peças;

  14. Rohr S/A – Estruturas Tubulares;

  15. Scorza S/A – Engenharia e Construções;

  16. Songenalda – Sociedade Gêneros Alimentícios Ltda;

  17. Textil RV Ltda;

  18. Viação Ouro e Prata S/A;

  19. Zamprogna S/A – Importação, Comércio e Indústria.

  20. Expresso Rio Grande São Paulo S/A;

  21. Expresso ABC;

  22. Luiz Carlos Andrieux;

  23. Transportadora Tresmaiense Ltda;

  24. Empresa Santa Rosa S/A – Transporte e Agricultura;

  25. Moto Metalurgica S/A – Indústria e Comercio;

  26. Unesul de Transportes Ltda