Felipe Camozzato é o primeiro candidato a participar do bate papo com candidatos à vereador.

O primeiro bate papo AEHN com candidatos a vereador de Porto Alegre aconteceu na quinta-feira (08), via plataforma Zoom, e disponibilizado agora nos perfis da entidade no Facebook. O convidado para o evento foi o candidato à reeleição a vereador Felipe Camozzato (NOVO) e a conversa foi conduzida pelo presidente da AEHN, Luiz Carlos Camargo.

Camozzato iniciou falando por que entrou para política. Segundo ele, porque não se sentia representado pela câmara de vereadores, políticos e partidos existentes, porque enquanto empreendedor enfrentou muitas barreiras e burocracia e também porque como cidadão percebeu a falta de acesso aos serviços públicos.

Na sequência, falou sobre como conduziu sua primeira legislatura e suas principais pautas. Os primeiros itens mencionados foram a revogação de leis que atrapalhavam o entendimento do cidadão sobre estar ou não seguindo a lei, e a lei da liberdade econômica aprovada em 2020. Em seguida falou sobre o como conduziu o enfrentamento da situação fiscal do município e apontou a necessidade de projetos estruturais para rever a previdência, o aumento automático de salários de servidores, a estrutura de funcionamento de secretarias, a transformação de processos analógicos em digitais e a concessão de praças e serviços públicos. Falou também sobre as estatais e economias mistas como Carris e Procempa consumirem muitos recursos da cidade, criticou o fato de a Procempa deter o monopólio de prestação de serviços TI, e que a empresa além de cobrar um valor muito mais alto do que o mesmo serviço no setor privado, atrasa todo o funcionamento da prefeitura. Citou ainda a dificuldade da Procempa em viabilizar projetos de integração de câmeras de segurança privadas para monitoramento da cidade.

Em relação ao licenciamento digital, Camozzato disse reconhecer que apesar de estar sendo implementado aos poucos, houve avanço, e elogiou o trabalho conduzido pelo Secretário Germano Bremm: “Eu sempre fui um vereador independente, critico àquilo que eu acho que está errado e apoio o que eu acho que é certo”. Lembrou que especialmente no início do governo apoiou a maioria das pautas, como por exemplo, a questão de indicadores de desempenho para serviços prestados e também citou o primeiro desentendimento com governo, pois como é contra qualquer tipo de aumento de impostos foi contra o aumento do IPTU e afirmou que haveria uma forma de fazer a revisão da planta sem o aumento na arrecadação.

Sobre a revisão do plano diretor, falou que considera as regras de zoneamento muito engessadas e que as contrapartidas devem ser mais claras e conectadas com a realidade da cidade, como exemplo falou que não adianta colocar uma ciclovia em um bairro que tem uma das melhores infraestruturas da cidade e deixar parte da cidade carente de serviços básicos, como o caso do 4ºDistrito que sofre com problema crônico de alagamentos. Completou afirmando ter sido o único a apontar esse problema e que espera contar com mais vereadores no enfrentamento de pautas como esta.

No final de sua explanação, falou estar honrado com o convite para o bate papo, e elogiou a AEHN, destacando o fato de a associação estar sempre presente nos debates da cidade, acompanhando praticamente todas as pautas e cobrando soluções para demandas da região, e que por isso é uma entidade de destaque na câmara e no município. Falou ainda, que mais importante que o trabalho de um único vereador, de um partido ou até mesmo uma pauta eleitoral é ter uma associação apartidária que representa vários empreendedores e cidadãos e que está presente cobrando que o dinheiro público seja bem aplicado.